NOVO EXAME DIAGNOSTICA GRAVIDADE DE PRÉ-ECLA MPSIA

Se não tratada a tempo, doença pode causa a morte

Principal causa de morte materna durante a gravidez e de prematuridade no Brasil, a pré-eclâmpsia é uma condição grave que pode afetar até 10% das grávidas. O diagnóstico é a principal forma de antecipar o tratamento e salvar vidas. Por essa razão, chega ao mercado um novo exame para identificar o problema. Realizado a partir da 20ª semana de gestação, ele avalia o risco a partir de duas substâncias presentes na placenta da gestante.

“O diferencial do novo exame é a possibilidade de detectar qual a gravidade da pré-eclâmpsia e diferenciá-la de outras causas de hipertensão, como Lupus. Isso faz com que o tratamento seja realizado de forma mais adequada ao quadro da paciente, aumentando a efetividade”, explica Dr. Renato Sá, chefe do setor de obstetrícia e medicina fetal e coordenador do Centro de Cirurgia Fetal e Neonatal (CCFN) da Perinatal. 

A pré-eclâmpsia é uma condição de hipertensão arterial gestacional. Se não tratada, pode causar coagulações, síndrome de Hellp, ou até pode convulsões junto de hipertensão no momento do parto, causando a morte. Cerca de 2% das ocorrências são graves e necessitam de acompanhamento constante, como a internação em unidade médica semi-intensiva, que auxilia na prevenção da prematuridade ou faz com que a criança nasça com melhores condições de sobrevivência. 

“Nesses casos, é importante diagnosticar com a maior antecedência possível para fazer a prevenção e conseguir ganhar tempo no tratamento, permitindo que o bebê possa vir ao mundo na hora certa. Um bom pré-natal diminui o risco de pré-eclâmpsia”, recomenda Dr. Renato.

No grupo de maior risco estão mulheres maduras ou que engravidaram muito jovens, gravidez múltipla (gêmeos), mulheres com histórico familiar ou que apresentaram o problema em gestações anteriores. Obesidade, falta de pré-natal adequado e alguns tipos de trombofilias também podem aumentar as chances. “Essas pacientes geralmente são muito jovens. O óbito pode alterar toda a estrutura familiar”, ressalta o ginecologista.

Sintomas comuns da pré-eclâmpsia:

• Aumento exagerado de peso; 

• Forte dor de cabeça; 

• Dor abdominal persistente;

• Sangramento vaginal; 

• Presença de contrações uterinas regulares; 

• Distúrbios visuais;

• Náusea ou vômitos persistentes;

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: